Pro.Benfica

Segunda-feira, 4 Abril, 2016

Bayern

Filed under: 1.ª Liga, Liga dos Campeões — pro.benfica @ 0:29

Faltam cinco (5) jogos para a primeira liga terminar. O Benfica segue à frente com 2 pontos de vantagem para o Sporting (dou de barato que este triunfará amanhá em Belém).

Falta ir a Coimbra, a Vila do Conde e ao Funchal, mais dois jogos em casa. Pelo meio existe a dupla jornada com o Bayern de Munique. É um problema intrincado para Rui Vitória. O que fazer? Lutar e tentar fazer o melhor frente aos mais que favoritos alemães? Isso implica pôr em campo os melhores, forçando-os a (mais) duas duras batalhas e, mesmo assim, apostando todas as fichas, a sair derrotado e por que números… Ou poupar jogadores fulcrais (Jonas, Gaitán, Fejsa…) e correr um risco maior de sair com uma cabazada?

A isto há a acrescentar a meia final da Taça da Liga frente ao Braga.

Os mais ferrenhos e otimistas defendem que o único horizonte para o Benfica é ganhar, seja em que terreno for, indiferente ao adversário. Por mim, como em tudo na vida, prefiro definir objetivos: primeiro, segundo, terceiro e por aí fora, o campeonato nacional; depois a Taça da Liga, tão desprezada por outros, apenas porque não consta do seu historial; por último, a Liga dos Campeões. É possível eliminar os alemães? Com certeza! Os impossíveis na vida são quase inexistentes, sem o sonho ‘o homem é um cadáver adiado que procria’, porém encarar a existência com realismo é um princípio a observar.

O triunfo no campeonato de 2016 é importantíssimo, é a melhor resposta a quem passou longos meses a achincalhar-nos a todos, desde a direção até ao mais simples adepto. Não se desperdice a oportunidade, quando ela está parcialmente presa nas nossas mãos. Unidos como nunca, jamais deslumbrados ou pesporrentes como num passado recente.

 

Entretanto, desde a última posta, lá abichanámos mais umas tacitas: no vólei, no atletismo, hoje no andebol frente ao eterno rival Sporting.

Anúncios

Quarta-feira, 16 Setembro, 2015

Benfica de ligas mal enjorcadas

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 22:44
  • Todos os Césares têm sorte: o Astana, logo no início da segunda parte, deu um beijinho no poste direito da baliza do nosso Imperador.
  • Comovido com tal gesto de carinho, Gaitan abriu o livro e, pouco depois, fez o primeiro.
  • Ter Gaitan e Jonas na mesma equipa é meio caminho andado para um treinador mediano se ir aguentando ao leme da barcaça.
  • O Benfica desta época é isto: o difícil é marcar o primeiro golo. Feito isso, é encher o cesto. Hoje, as galinhas estiveram comedidas e só foram dois. Tenho a certeza de que se estão a guardar para domingo.
  • Depois de tanto ter trabalhado para receber o amarelo, Samaris abandonou a ocupação de fruteiro e dedicou-se à limpeza. E com que limpeza o fez.
  • Vou fazer uma profecia: Luisão está a fazer a último época ao serviço do clube.
  • Sempre que Gaitan espirra, o ritmo cardíaco de 6 milhões dispara e é um «ai Jesus” (salvo seja).
  • Apreciação final: foi mauzinho o jogo. Convém melhorar – muito – no próximo domingo. Não é que o Porto esteja a jogar por aí além. Ainda hoje, empatou em Kiev (bom resultado), controlou a segunda parte, mas não deslumbrou nem amedrontou, não obstante os incentivos de Luís Freitas Lobo, com os seus gritos após os golos, qual comentador desportivo isento e que não revela, em direto, as cores clubísticas que professa.

Terça-feira, 15 Setembro, 2015

O regresso do Benfica europeu (ao intervalo)

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 20:47
  1. Está de regresso o Benfica europeu das épocas anteriores. Pelo que se viu, o defunto afinal continua a dirigir a equipa, certamente em espírito, na Europa do futebol.
  2. 45 minutos iniciais de mau futebol, falhas defensivas, maus passes sucessivos, lentidão, incapacidade para ligar o jogo, inoperância… Mau, mau, mau, muito mau.
  3. Samaris tanto pediu, tanto rogou, tanta paulada distribuiu que o homem do apito lá atendeu as preces e lhe fez a vontade, oferecendo-lhe o amarelo mais do que merecido.
  4. Pelo que se observou, é provável que tenha havido um engano: quem esteve na Luz na sexta-feira foi o Astana e quem lá está a jogar hoje é o Belenenses.
  5. Talisca dá dó: parece que o obrigaram a fazer o percurso do Romeiro do Frei Luís de Sousa. O rapaz esteve tão lento, mostrou-se tão cansado que cheguei a recear um colapso cardíaco quando fez um pique de 5 metros.
  6. Rui Vitória começou cedo a pedir garrafinhas de água. Será por isso que a equipa meteu água em toda a primeira parte? Barriga de água? Beb’áuga?

Quarta-feira, 6 Maio, 2015

Messi – 2,9 Bayern de Munique – 0

Filed under: Liga dos Campeões, Messi — pro.benfica @ 21:48

Messi é o melhor do mundo nos últimos 10 anos.

Ponto final. Sem parágrafo.

Brutal o que hoje fez frente ao Bayern de Munique.

Houve Pelé, Maradona e… Messi. O resto são interlúdios de grande talento. Estes três não nasceram neste planeta futebolístico.

Quarta-feira, 22 Outubro, 2014

A choradeira do Sporting

Filed under: Liga dos Campeões, Sporting — pro.benfica @ 12:57

Ponto prévio: o Sporting tem razões de queixa da equipa de arbitragem que ontem apitou o seu desafio frente ao Schalke.

Tal como o Benfica teve, num passado recente, ao defrontar o Leverkusen, ou na final da Liga Europa do ano transato.

No entanto, o estenderete de lamúria a que se tem assistido desde ontem à noite é patético. E porquê? Porque, antes do árbitro, há que procurar as nossas próprias culpas nos insucessos.

Quando os leões venciam por 1 a 0 e controlavam o jogo, frente a uma equipa alemã fraquinha, liderada por um italiano que, não obstante ostentar uma Liga dos Campeões no currículo enquanto treinador, é um zero, cometeram dois erros crassos de enfiada: o segundo amarelo e consequente vermelho a Maurício, após uma entrada destemperada, que não merece discussão (pelo menos em quem vê futebol com olhos relativamente “horizontais”) e o frango de Rui Patrício. E, se quisermos, podemos trazer à colação o golo do 2 a 1, em que Huntelar bate com uma facilidade extraordinária o defesa do Sporting…

Eu gosto de ver o Sporting jogar: troca bem a bola, tem jogadores no meio campo com uns pezinhos fabulosos, tem um Nani que é o motor da equipa, pressiona alto e bem durante bastante tempo, tem juventude motivada e com sangue na guelra, etc. São muitas coisas boas, mas falta-lhe muito…

Quinta-feira, 2 Outubro, 2014

Leverkusen – 3 Benfica – 1

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 2:39

Se é para isto, mais vale abdicar da ida à LC e passar diretamente para a Liga Europa, a segunda divisão europeia, mas o lugar do Benfica de Jesus.

De facto, em cinco anos, contando com este, só uma vez passámos a fase de grupos. Em contrapartida, chegámos a umas meias-finais e a duas finais europeias.

Jorge Jesus não é um treinador para grandes competições e, sobretudo, para grandes jogos, contra grandes equipas. Veja-se o sufoco que a equipa vive frente ao Porto, internamente, e a clubes de dimensão europeia. É um cagão, joga fechado lá atrás, com a equipa encolhida, à espera de sofrer o primeiro golo para depois reagir.

Não gosto do estilo de jogo de Jesus: cavalgadas atrás de cavalgadas, cada posse de bola equivale a um ataque, não há retenção ou troca de bola, não há temporização. Por isso, eu gosto de Marco Silva, gosto do jogo feito de posse de bola. Pelo menos, enquanto a temos, não corremos o risco de sofrer golos, exceto se formos nós a «marcá-los» na própria baliza.

Esse estilo cavalgante também não contempla a introdução de um número 10, um homem que paute o jogo, que organize, que distribua. Aimar foi o último Moicano. Não há mais.

Mais: o meio campo joga sistematicamente em inferioridade numérica: dois tristes contra 3 ou 4 adversários. Com uma agravante: este ano não há um Jávi a destruir nem um Matic a construir. Porque é que Enzo, em novembro, já começa a mostrar sinais de desgaste? Pudera! O homem corre por dois e às vezes por três!

Na frente, há Lima. O rapaz corre, salta, pula, luta, mas marcar… está quieto. Falha, falha, falha e falha.

Cá atrás, Jardel vaio chegando para os palonços adversários; lá fora, é uma aflição. Ainda por cima, joga do lado de Eliseu, que ataca bem, mas a defender é quase tão bom como eu.

No meio, Samaris… sei lá o que escrever sobre o grego… Veio como estrela de 10 milhões, mas até ao momento vale 10 tostões.

Talisca tanto faz jogos de pré-estrela como a seguir se esquece de entrar em campo, isto é, o corpo e o equipamento entram, mas a alma ficou no balneário, quiçá borrando-se de medo no avião.

Depois é mais do que evidente que o Benfica não tem pedalada, andamento, ritmo, o que lhe quiserem chamar, para estes palcos. Os adversários chegam mais alto, são mais rápidos, parecem mais em campo, ganham as primeiras e segundas e terceiras bolas e por aí fora.

O guarda-redes é outro momento de comédia. A direção teve meses para preparar a fuga de Oblak. O melhor que conseguiu foi Júlio César, o brasileiro de 35 anos, que hoje abriu a capoeira no primeiro golo. Ou seja, temos Júlio, um frangueiro; Artur, um frangueiro; Paulo Lopes, um suplente com alma de benfiquista e… Varela, o miúdo. Pelo que se viu hoje, mais valia ter apostado em Varela. Pior não faria, isso é certo, e quem sabe se tivesse descoberto ali o futuro da baliza.

Mas há mais: a meio da segunda parte os jogadores pareceram conformados e como se estivesse a cumprir um dever, a entreter a coisa até que o árbitro (belo palhaço, a propósito!) desse por terminada a contenda. O próprio Jesus, na conferência, pareceu conformado igualmente, sem chama, sem rasgo: o adversário foi superior. Ponto. Foi mesmo isto que o homem disse. Então e o senhor aceita isso e não tem mais nada a dizer? E sobre ser quarto no grupo com zero pontos?

Tudo isto é lamentável. Por mim, Jorge Jesus já não era treinador do Benfica há duas épocas. Por mim, Marco Silva era o treinador do Benfica. Por mim, Vieira já tinha ido com os cucos há imenso tempo. Bastam-me as manigâncias de que se socorreu para se recandidatar e impedir que outros lhe fizessem sombra. Além disso, há uma obscuridade que assusta, não é motivador, não sabe discursar, não sabe estar, etc., etc. A malta agradece-lhe o trabalhinho, os títulos e tal, mas adeus e não volte o olhar para trás.

É verdade que se vai em primeiro, mas não ver o sufoco que foram os jogos com Sporting, Boavista, Moreirense e Estoril é ser mais do que benfiquista ferrenho, é precisar de «oftalmos».

Quarta-feira, 1 Outubro, 2014

Da imprescindibilidade

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 19:10

Depois de ver o Zenit – Mónaco (0-0), um espetáculo (?) miserável, pessimamente jogado, é possível extrair duas conclusões:

  1. É preciso ganhar daqui a pouco na Alemanha se a ideia é passar à fase seguinte, ou mesmo à Liga Europa.
  2. Jorge Jesus e a equipa que apresenta não são da Champions.

Terça-feira, 30 Setembro, 2014

Piada da noite

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 21:57

Eles (o Chelsea) têm o Matic, nós (o Sporting) temos o William Carvalho.

Terça-feira, 16 Setembro, 2014

Kalinka russa

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 21:10
  • Os primeiros 45 minutos do Benfica – Zenit (0 – 2) foram um baile, um banho de bola dos russos.
  • De um lado, uma equipa, do outro, as habituais cavalgadas.
  • Tudo borrado do lado benfiquista quando a bola chegou aos pés de Hulk.
  • Mais uma vez, jogou-se melhor com 10 do que com 11.
  • Lima trabalha, trabalha, trabalha, trabalha, trabalha, trabalha… Eu preferia um gosma que marcasse uma trintena de golos. Gostos.
  • Ao estilo de jogo de Jesus falta um organizador de jogo e posse de bola.

Quinta-feira, 28 Agosto, 2014

Sorteio da Chapios

Filed under: Liga dos Campeões — pro.benfica @ 19:24

Vejamos o lado positivo do sorteio:

  • obtendo o terceiro lugar do grupo, temos uma via aberta para nova final europeia;
  • ficando em quarto, ficamos livres para nos focarmos na liga portuguesa.
Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.