Pro.Benfica

Domingo, 2 Dezembro, 2012

A derrota do Porto em Braga

Filed under: F. C. Porto, Taça de Portugal — pro.benfica @ 0:39

O FCP, a única equipa invicta na Europa até sexta-feira, foi derrotado pelo Sp. de Braga por 2 a 1, ficando assim afastado da Taça de Portugal.

Vítor Pereira jogou com uma equipa secundária, onde os únicos habituais titulares eram Otamendi, o Manaca francês e o James Rodriguez.

Porque é que o Bitó Pereira secundarizou a Taça de Portugal, ao jeito do se der deu, se não der, paciência?

Muito simplesmente porque quis poupar jogadores para o desafio da próxima semana frente ao Paris Saint-Germain. Apesar de os azuis-e-brancos estarem há muito apurados para a fase seguinte da Liga dos Campeões, querem assegurar o primeiro lugar do grupo. Porquê? Porque, deste modo, aumentam as probabilidades de não enfrentarem um tubarão na ronda seguinte e, assim, poderem prosseguir para a fase seguinte e embolsar mais uns valentes milhões. É claro que o Real Madrid fez o favor de ser segundo no seu grupo, o que pode vir estragar os planos, mas…

De facto, os portistas, entre uma Taça de Portugal que, além do troféu em si mesmo, não traz quase nenhuns proventos financeiros e uma Liga dos Campeões dos milhões, optam claramente, e racionalmente, pela segunda hipótese. E isto explica-se pelo facto de o FCP, financeiramente, estar em situação igual ou pior do que o país. Convém não esquecer (1) o novo empréstimo obrigacionista lançado recentemente pelos nortenhos, (2) a extinção do basquetebol, (3) os salários em atraso de alguns funcionários e (4) os salários em atraso nalgumas modalidades.

É criticável esta postura? NÃO! Para mais, num clube que, a bem ou a fruta, tem ganho tantos títulos ultimamente. A aposta, claramente e mais uma vez, passa por ser campeão nacional e ir o mais longe possível na competição dos milhões. É simples! É racional! É bem pensado!

Já Jorge Jesus pensa um bocadinho diferente. Isto é, o ruço tem noção de que ou ganha o campeonato nacional este ano, ou vai de vela (quem sabe se não para o Dragão?!?), logo desprezou, claramente, a possibilidade de seguir em frente na Champions, mas fê-lo estúpida e absurdamente, pois o Benfica tinha mais do que obrigação de se ter apurado, no máximo com duas derrotas frente ao Barcelona. Assim, arrisca-se (é quase uma certeza) a seguir para a Liga Europa e a não vencer o título máximo nacional. É simples! É mal pensado! É um prego no seu caixão!

Por outro lado, a aposta da direção é clara: procurar aguentar até Janeiro e adquirir o passe de um ou outro jogador para encher aquele campo debilitado. Para já, fala-se na eminência da chegada de um jovem central mexicano de 20 anos. Acho bem, pois Garay não vai morar por muito mais tempo entre nós e há que preparar atempadamente a sua saída, o que não se fez com Wietsel e Javi Garcia. Já agora, convém pensar, RAPIDAMENTE, em alguém para o lugar de Aimar, pois está visto que o argentino já deu o que tinha a dar (como eu espero estar enganado!).

P.S. No próxima fim-de-semana, o Sporting vai ter o seu jogo do ano, ao receber o Benfica em Alvalade. Se ganhar, já se sabe, a época está feita. «Business as usual!»

Segunda-feira, 21 Maio, 2012

Sporting – 0 Académica – 1

Filed under: Taça de Portugal — pro.benfica @ 3:00

Espanto dos espantos: a Académica venceu a Taça de Portugal 2012.

Em Alvalade e, valha a verdade, na Luz também, a mala pertence ao clube do 8 ou 80. Isto é, se ganha dois ou três joguitos, entra em euforia; quando cai na realidade, é a depressão total, ninguém afeto ao clube presta, o mundo vai acabar em pouco tempo.

Sucede que os sportinguistas têm toda a a razão para estar deprimidos: ficaram em 4.º lugar na Liga; quase chegaram à final da Liga Europa, quase venceram a Taça de Portugal; quase chegavam à final da Taça da Liga (não fossem eliminados por um clube de terceira); quase chegavam à final da Liga dos Campeões em futsal; quase chegavam à final da prova europeia do andebol; quase chegavam à final do Mundialito de Clubes de futebol de praia… Enfim, quase, quase… Ou a memória do poema homónimo de Mário de Sá-Carneiro.

E a Académica? Foi apenas o vencedor mais do que merecido. É caso para dizer que a Queima das Fitas, este ano, começou em inícios de maio, como de costume, e se prolongou pelo mês inteiro.

BRIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSA!

Quarta-feira, 11 Janeiro, 2012

Taça Paulo Baptista

Filed under: Taça de Portugal — pro.benfica @ 22:50

Sporting – 2  Nacional – 2

Até à expulsão do jogador nacionalista: 0 – 2.

Sábado, 3 Dezembro, 2011

Marítimo – 2 Benfica – 1

Filed under: Jorge Jesus, Taça de Portugal — pro.benfica @ 12:28

E assim o SLB foi afastado da Taça de Portugal, competição que já não vence desde 2004.

Depois disto, Jorge Jesus deve ter bem presente algo muito simples: OU VENCE O CAMPEONATO, OU DIZ ADEUS AO CLUBE, e já poderá, então, ir substituir Vítor Pereira no Porto.

Esta primeira derrota da época só poderá ser surpresa para quem não viu os jogos frente ao Beira-Mar, ao Olhanense, ao United, ao Sporting, etc. Aliás, a vitória de sábado passado levantou um estado de euforia e de satisfação em 99,9% dos benfiquistas que, para mim, é incompreensível. O Sporting jogou melhor e merecia ganhar. O SLB foi encostado lá atrás, marcou um golo de campo e as oportunidades escassas que teve resultaram de contra-ataques esporádicos. Quem pareceu estar a jogar em sua casa foram os de Alvalade.

O SLB está a jogar mal e de forma descontínua e há jogadores que estão a atuar de forma banal: Nolito, Gaitán, Rodrigo, Cardozo, Saviola. Outros jogam de forma oposta: Artur, Luisão, Máxi, Aimar, Bruno César, Jávi… E depois há casos como os de Matic e, sobretudo, Emerson, que não têm qualidade para vestir a camisola berrante. Não sei se o espanhol campeão da Europa e do Mundo será a solução, especialmente pela idade, mas o brasileiro é que não é.

Mas o teimoso vai teimar até ao fim e mantê-lo a jogar. Aliás, agora, não tem outra hipótese exceto continuar a apostar em Emerson, pois não há mais ninguém para a lateral esquerda da defesa na Champions e não faria nenhum sentido jogar Cap internamente e o brasileiro de quinze em quinze naquela competição.

O ano passado, é verdade, acusou-se Jesus de não fazer a rotação da equipa. O que faz o homem este ano? Roda meia equipa, pelo menos. Vejamos o jogo de ontem: Eduardo, Ruben Amorim, Matic, Nolito, Saviola. Ou seja, mudou seis jogadores (não contam para estas contas as entradas de Jardel – resultante da lesão de Luisão – e Rodrigo, que, nos últimos tempos, tem sido aposta), mais de meia equipa. A malta até poderia perceber isto contra a Naval (mas, mesmo nesse jogo, estivemos mais perto de perder do que ganhar), agora contra o Marítimo? Só poderia dar no que deu. Já agora, alguém é capaz de explicar a colocação de Ruben Amorim no lugar de Maxi quando este não pode jogar quarta-feira para a LC por castigo? Foi para tentar atenuar o descontentamento de Amorim de quems e diz querer sair por jogar poucos minutos?

Em suma, ou muito me engano, ou este ano o Benfica volta a não ganhar título algum. A Taça e a Supertaça já foram. A Liga dos Campeões, é para chegar aos oitavos e… receber a massa da participação. A Taça da Liga… veremos se vencemos o grupo para já. O campeonato… bem, o campeonato está muito apertado e, se o FCPorto começa a pagar o que deve aos jogadores e estes decidem em entrar no modo 2010/2011, também não o cheiraremos.

E aí, adeus Jorge Jesus. E já chega de argumentar com o título ganho há duas épocas e o bom futebol praticado em parte dessa época, pois, em duas épocas e meia, foi a única coisa de jeito que conquistámos. As taças da Liga são treta.

Domingo, 20 Novembro, 2011

Académica – 3 F. C. Porto – 0

Filed under: F. C. Porto, Taça de Portugal — pro.benfica @ 14:11

Foi assim – de pernas abertas – que o Portos e apresentou, ontem, em Coimbra.

E a Académica, perante tamanho manjar, aproveitou e f…-os bem!

Sexta-feira, 14 Outubro, 2011

Portimonense – 0 Benfica – 2

Filed under: Taça de Portugal — pro.benfica @ 21:49

Eduardo – Uma grande defesa na primeira parte, na única oportunidade dos algarvios.

Bruno César – Ah, pois é: um golo e uma assistência (e que assistência!).

Nolito – Enfim, esteve em campo e tal…

Rodrigo – Segunda parte: uau! Além do golo, após grande passe de Bruno César, aquele balázio a rasar a barra era uma coisa do outro mundo.

Saviola – Mais interventivo do que Nelson Oliveira, mas nada de especial.

Wietsel – Entrou e o jogo mudou. Este belga é outra louça.

Rodrigo Mora –

Domingo, 29 Maio, 2011

A quarta

Filed under: Andebol, Taça de Portugal — pro.benfica @ 17:36

          O Benfica venceu a sua quarta Taça de Portugal em andebol, ao derrotar o Madeira SAD.

          Nos últimos quinze minutos, a dupla de arbitragem tudo fez para que o resultado fosse outro, mostrando o vermelho a Rui Silva e colocando, pouco depois, a equipa a jogar com menos dois, além de um par de decisões igualmente contrárias ao nosso clube.

          Foi aí que o técnico encarnado, José António Silva, tomou uma decisão que decidiu a final: substitui João Ferreirinho por Ricardo Candeias, que com um punhado de defesas obstruiu o trabalho da dupla de arbitragem.

          Foi o primeiro triunfo nesta competição após 1987. Sabe muito bem!

Domingo, 22 Maio, 2011

Machadices

Filed under: Taça de Portugal — pro.benfica @ 17:58

          Alguém deveria ter avisado o Vitória de Guinarães para levar a defesa para o jogo do final da Taça.

Quinta-feira, 21 Abril, 2011

SLB – 1 FCP – 3

Filed under: Clássicos, Taça de Portugal — pro.benfica @ 0:14

          Eh pá, já me esquecia: na segunda parte, o FCP jogou um futebol extraordinário, deu um banho de bola e ganhou bem, muitíssimo bem. Limpinho!

          Já agora a equipa de arbitragem: quase pior do que o Benfica.

Quarta-feira, 20 Abril, 2011

Mais uma… vergonha…

Filed under: Clássicos, Taça de Portugal — pro.benfica @ 23:51

          As declarações de Jorge Jesus na conferência de imprensa final são a revelação da sua impotência e da equipa que comanda, bem como das suas (in)competências enquanto técnico de futebol. Em determinado momento, confessou que esteve à espera das decisões de Bilas-Voas e do FCP para mexer na equipa e no jogo. Mais: quando deu por ela, já a eliminatória estava empatada, que é o mesmo que dizer perdida. António Pedro Vasconcelos, conhecido cineasta e adepto do SLB, dizia, o ano passado, que Jesus era superior a Mourinho. Na altura, muita gente se riu. Hoje, felizmente para ele, espero que já poucos se lembrem dessas suas afirmações.

          No final da 1.ª parte, o Benfica tinha cerca de 60% de posse de bola. Mas o que significavam esses dados? A incapacidade de a equipa jogar ao ataque e criar perigo, pois o que se viu foram os centrais a trocar a bola entre si e a atrasá-la frequentemente para Júlio César. Na segunda, ao fim de dez minutos, já se estava a adivinhar o final do «thriller». O FCP entrou agressivo, a trocar a bola com velocidade, a marcar bem alto, a roubar a bola sucessivamente e a não deixar o SLB atacar, com excepção daquele lance do Jara (o mesmo que perdeu a bola que originou o primeiro golo), que este definiu mal. E o que fez Jesus ao ver a merda a chegar? Nada! Esperou que Bilas-Voas definisse o jogo.

          Frente ao FCP de Bilas-Voas, Jesus ganhou um jogo e perdeu quatro; marcou quatro golos e sofreu 12; sofreu três humilhações: derrota por 5 a 0, entrega do campeonato, na própria casa, ao adversário; eliminação «impossível» na Taça de Portugal, novamente em casa. Vêm aí, pelo menos, mais duas: a perda da Liga Europa e o triunfo do FCP nesta competição. Neste momento, o Braga joga carradas de futebol a mais que o Benfica, por isso, na próxima semana, as lágrimas podem voltar a aflorar os olhos de uns milhões de faces.

          Alguém, a partir de hoje, vai ligar uma merdinha à final da Taça da Liga do próximo sábado? Mesmo que a ganhemos, o que está por provar, quem terá vontade de celebrar?

          O FCP e o Braga são equipas, o SLB é um grupo de jogadores, onde algumas individualidades vão definindo.

          No jogo de hoje, não houve alas. Na esquerda, porque Coentrão ficou amarado atrás; na direita porque não houve ninguém. Jara? Quem? E isto leva-nos, novamente, à questão das contratações: com excepção de Gaitán, e mesmo assim é um jogador muito mole, que não mete o pé, embora tenha técnica que nunca mais acaba, todas as contratações do nosso técnico são uma valente merda.

          E, pronto, esta época acabou de vez.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.