Pro.Benfica

Segunda-feira, 8 Fevereiro, 2016

Vieira até a cal que marca o relvado tinha vendido

Filed under: Benfica, Gaitán, Luís Filipe Vieira, Transferências, Uncategorized — pro.benfica @ 23:44

Saiu hoje a notícia de que o Benfica teve acordo firmado com um clube árabe para a venda de Gaitán por 35 milhões de euros no verão passado.

O argentino é que recusou.

Fica-se, assim, com a certeza de que, de tivesse podido, Vieira tinha vendido tudo o que mexesse (e alguns inertes) no Benfica: Lima (foi), Gaitán, Jonas, Jardel, Lisandro Lopez, Salvio…

Claramente, esta época era para não ganhar nada e para aguentar um provável terceiro lugar. No entanto, alguns dos jogadores não quiseram sair. E, subitamente, a 8 de fevereiro, a equipa está em primeiro lugar da liga.

Porém, tenhamos uma certeza: não é pela visão de Vieira.

Anúncios

Terça-feira, 8 Dezembro, 2015

Um gigantesmo aplauso para Luís Filipe Vieira!

Filed under: Luís Filipe Vieira, Uncategorized — pro.benfica @ 22:35

O mundo futeboleiro nacional anda, por estes dias, em polvorosa por causa do acordo que o Benfica celebrou para a NOS, segundo o qual o clube irá receber 400 milhões de euros nos próximos 10 anos pelos direitos televisivos dos seus jogos na Luz.

Antes de mais, devo esclarecer duas coisas: negócios de longa duração deixam-me sempre desconfiado, por causa da natural evolução das ‘coisas’; espero pelo dia 10, depois de amanhã, para ter(mos) acesso ao negócio em concreto, cláusulas e condições, para se ter uma real visão da realidade.

Note-se,  porém, como a passarinha dos rivais – a bem da verdade, de um rival, o clube de que Bruno de Carvalho é dono por intermédias pessoas, pois o do Norte anda caladinho a operar na sombra, como sempre foi seu timbre – anda por aí aos saltos.

Com uma gargalhada, leem-se na tasca do reles, vulgo Tasca do Cherba, apelos ao universo parolo leonino para que rompa os contratos que, lá por casa, têm com a dita operadora de conteúdos televisivos, entre outros. Chamar parola a esta gentinha é o mínimo de decência que se pode ter. Ainda assim, já foi pior. De facto, não há muito li por lá escritos a desejarem a morte a 6 milhões de benfiquistas, ou o apedrejamento da sede da NOS, que fica próxima do antro da principal claque lagarta.

Noutro tasco, o Leoninamente, o seu autor vomita todo o pus que lhe queima as entranhas. Confesso que passei por aquele espaço durante mais de um ano, lendo com alguma atenção e curiosidade as postadelas que o autor fazia. Contudo, no último ano e meio, com especial incidência desde a mudança de Jorge Jesus para Alvalade, o homem transformou-se e passou a ser apenas mais um reles lagarto com o tradicional complexo de inferioridade face ao Benfica.

Não sei, em rigor, se Luís Filipe Vieira fez um bom contrato para o Benfica, se dele vai tirar proveito pessoal, como suspeito que tirou ao longo destes anos todos em que está à frente da direção do SLB. Com efeito, não sei. Porém, desde já tenho a agradecer-lhe a forma como deixou o rabinho de milhões de sportinguistas e portistas a arder. Se tivessem sido penetrados por um belo pau de marmeleiro, não estariam com maior ardor. E parece que vem aí mais um negócio ‘interessante’, referente ao «naming» do estádio.

Pelo meio, Bruno de Carvalho vai levar com mais um processo em tribunal, ao levantar suspeitas (como ele, cobardemente, tanto gosta de fazer a eito) sobre a W52, equipa com faria parceria no ciclismo já a partir da próxima época, mas afinal já não vai, porque o Porto chegou primeiro.

Aliás, para quem tanto gosta de alardear a sua competência, seria bom ler as declarações do nosso homem do olimpismo, para verificar de boca própria o amadorismo com que se trabalha em Alvalade.

PS – Depois de tanto dinheiro prestes a chegar, convém formar uma equipa que nos devolva aos triunfos e, se não for pedir muito, arranjar um clube anafado e simpático para despachar o amigo que de vitória tem pouco.

 

Segunda-feira, 3 Agosto, 2015

A sintonia

Filed under: Luís Filipe Vieira, Rui Vitória — pro.benfica @ 1:31

Atentemos nas palavras de Rui Vitória: «Reforços? Estamos em sintonia com a administração. Quando chegarmos a Lisboa vamos conversar e tomar decisões.»

Ai, mãezinha!

Quando é que chegam a Lisboa? Hoje ainda, 3 de agosto? Amanhã, 4? A 5 dias do final da Supertaça? E é, nesse espaço de tempo, em que a equipa e o treinador deveriam estar concentrados na preparação desse jogo, que se vai conversar? Ou é depois do dia 9, a uma semana do início do campeonato?

Tudo isto se passa com mais de um mês de preparação vencido. É necessário assim tanto tempo para observar as lacunas da equipa?

E em que consiste essa sintonia? E, se há assim tamanha sintonia, é preciso esperar tanto tempo para tomar decisões?

Por outro lado, como é óbvio, Rui Vitória afirma, sem o dizer, que o Benfica precisa de reforços. E, quando fala em reforços, suponho que não esteja a falar em jogadores da formação, nem em atletas para o banco de suplentes ou para a bancada, nem em mais um contentor de entulho para emprestar, empatar ou pôr a treinar no Jamor. Quando o homem fala em reforços, só posso acreditar que esteja a falar em jogadores para entrarem JÁ no 11.

Rui Vitória parece ser um tipo em quase tudo oposto ao defunto que não se deixa morrer. Essa forma de ser tem vantagens (certamente não o veremos a fazer carícias em agentes da autoridade, a mostrar dedos ao Manuel Machado, a sofrer sevícias de Lopetegui, a dançar em estádios ingleses – por acaso esta última, a da dança, até foi muiiiiiiiiiiiiiito boa…), mas o estilo mandão do «outro», o «eu é que mando aqui e mais ninguém», o «eu é que decido ‘tudo’ sobre o futebol», fazem muita falta. Como se está a ver no Sporting, Jesus é quem manda naquilo tudo, ele é que é 90% da famosa estrutura. O presidente apenas lhe comunica se tem ou não guito para satisfazer os seus desejos. Rui Vitória não é dessa massa. Contenta-se com o que lhe dão, acata, baixa as orelhas e procura fazer o melhor que pode.

Rui, há muito que deverias ter mandado essa sintonia às urtigas e optado por alguma dessintonia. Já não estás em Guimarães. Não deves estar eternamente agradecido por seres treinador do Benfica. Põe as bolinhas de fora e diz, clara e inequivocamente, ao presidente, aquilo de que necessitas para ganhar JÁ ao serviço do Benfica. Depois, a ESTRUTURA que se desamerde.

Deixa-te de ser gajo porreiro! A malta até te perdoa futuras carícias a polícias desde que ganhes. E ganhar JÁ, este ano.

A falta de visão de Vieira

Filed under: Finanças, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 1:20

Vieira deveria ter escutado Jorge Jesus, o defunto que teima em não morrer.

Se o Benfica, depois dos 6 anos sob o comando do génio ruço, joga de olhos fechados, o Benfica não precisa de treinador.

Assim sendo, ó Vieira, para quê gastar um milhão, ou lá o que é, com Rui Vitória?

Sexta-feira, 31 Julho, 2015

Um disco pedido para Vieira

Filed under: Luís Filipe Vieira, Música — pro.benfica @ 4:34

O casamento e o divórcio de Vieira e Jesus

Filed under: Jorge Jesus, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 4:00

No final da época de 2012-2013, Vieira apostou tudo, contra todos, na renovação com Jorge Jesus. Toda a gente se recorda do Gólgota que foi a subida da escadaria do Jamor pelo treinador. Ato de coragem ou golpe de asa? Medo ou sabedoria? Visão ou…?

Bom, recordemos: o casal Vieira-Jesus estava unido há 4 temporada, configurando um enlace tão comum nos nossos dias: após uma lua-de-mel avassaladora, seguiram-se três anos de ilusões, choros, desilusões, esperanças, amuos, ejaculações precoces… Houve de tudo, até um par de Taças da Liga para aquietar um estômago e um figado bem azedos.

Vieira estava desesperado: nesses 4 anos, o casório produzira apenas um filho «de jeito», um campeonato logo na lua-de-mel. O que fazer, sobretudo após a tragédia da final da Taça perdida para o Guimarães de… Rui Vitória? Despachar Jesus? A malta, maioritariamente, exigia-o! Porém, a ser assim, correr o risco de ver um sempre triunfante Pinto da Costa vir à Luz repescar o treinador e vê-lo ser campeão no Dragão, provando deste modo que o mal estava em «todo o lado» menos no técnico? Era o cenário da saída de Vieira pela porta das traseiras. E, a deixar cair o treinador (e, no fundo, era fácil, era um cenário desejado por tantos benfiquistas… Ó p’ra mim aqui!), quem colocar no seu lugar? Quem?

Entre a espada e a parede, Vieira arriscou. Se perdesse, daria um pontapé no cu ao treinador, responsabilizando-o única e exclusivamente, confiando assim poder permanecer na liderança do clube. Se ganhasse, seria o génio que o aguentou contra tudo e contra todos, o «único» que lhe reconheceu competência. Vieira seria O herói. E não é que ganhou? Ganhou em toda a linha, ou quase, tendo em conta as duas finas da Liga Europa perdidas e o fraquíssimo desempenho na Liga dos Campeões. Em dois anos, o Benfica arrebatou TUDO em Portugal, à exceção da Taça de Portugal de 2015.

E assim, felizes e contentes, aos peidinhos de felicidade, chegámos ao presente defeso. Vieira, como dois anos antes, viu-se confrontado com a renovação do contrato de Jorge Jesus. Porém, agora o cenário era exatamente o oposto ao de 2013: só triunfos.

O que fazer? O fácil novamente (neste caso, prorrogar o contrato)? Claro que NÃO: à semelhança do verão de 2013, Vieira fez o oposto do que se esperava e tomou a opção difícil – despachar Jorge Jesus e contratar um novo técnico. Porém, primeiro, mostrando que ainda lhe restava um pouco de inteligência e, em simultâneo, uma soberba que sempre se lhe adivinhou, procurou colocá-lo no estrangeiro, para o impedir de acabar a treinar um dos dois grandes rivais. O desenlace do BRILHANTE plano de Vieira é de todos conhecido, por isso adiante.

«Sobra» uma (de várias) questão: por que carga de água o presidente do Benfica se quis livrar de Jesus? Para poupar 3 milhões de euros? Nunca terá o homem ouvido dizer que, frequentemente, o barato sai caro?

Ou será que Vieira quis provar que o Benfica ganhava independentemente do treinador, portanto graças essencialmente a si – e à sua direção, ou à estrutura, o que quer que isso seja – e não à ação daquele? Uma questão de ego do presidente? Como tantos idiotas soberbos e vaidosos, Vieira convenceu-se de que, se Jesus continuasse a dirigir a equipa principal de futebol do Benfica, o treinador surgiria sempre como o rosto das vitórias e ele, Vieira, sempre em segundo ou terceiro plano. Esta coisa do ego e do papel na História é tramada e é o que faz muito boa gente cometer erros crassos.

Vai daí, quis ocupar o lugar do protagonista em palco. E, de facto, até ao momento está a ser o dramaturgo de uma peça com um péssimo enredo e alguns atores sem talento para pisarem o palco da Luz. Para que a tradição grega se cumpra, falta apenas que Jesus, no próximo final de primavera, comemore mais uma liga, o seu tri, só que vestido de verde… ou o raio de cor que agora se veste por Alvalade.

Luís Filipe Vieira jogou uma cartada altíssima, aquela que permitirá concluir em definitivo se o homem é, realmente, um mestre do dirigismo desportivo ou tão só o autor de uma ópera bufa.

Segunda-feira, 20 Julho, 2015

A seca

Filed under: Benfica, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 23:35

Não, não vou falar da meteorologia e do calor asfixiante que se faz sentir.

Luís Filipe Vieira foi à África do Sul, num aparente engano do comandante do avião em que embarcou, ou do próprio, já que a equipa está para os lados da América do Norte.

Adiante… Vieira está na África do Sul. E desde lá disse que os reforços reclamados pelos adeptos e sócios benfiquistas já estavam dentro do próprio clube.

Bom, a quem é o que o homem se estava a referir?

Aos produtos da formação? Quais em concreto? Hum? João Teixeira? Lindelof? Meeeeeeeeeeeeedo!

Aos 10 ou 11 que já contratou no defeso, metade dos quais já foi despachada? Marçal? Meeeeeeeeeedo!

A ele próprio e a uma recém-descoberto talento messiano para o futebol?

Se for como o homem diz, a seca vai prolongar-se muito para além do verão…talvez até maio de 2016.

Sexta-feira, 10 Julho, 2015

Mais um milagre de Vieira

Filed under: Luís Filipe Vieira, Transferências — pro.benfica @ 4:19

O Mónaco contratou Ivan Cavaleiro por 15 milhões.

Entretanto o mesmo Mónaco vendeu Ferreira Carrasco, jogador muito superior ao nosso Ivan, por 11 milhões ao Atletico de Madrid.

Faz sentido, não faz? Ora, se faz!

Quarta-feira, 3 Junho, 2015

Benfica em saldo

Filed under: Benfica, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 10:00

A fazer fé nas notícias dos jornais, a direção do Benfica tem o plantel em saldos.

Ora bem, estas notícias só podem ser duas coisas: verdade ou mentira.

Se for mentira, se não passar de invenções lançadas ao vento, compreende-se a razão: a coisa está preta para todos, as baixas nas vendas são progressivas e é preciso chamar a atenção e vender papel, sobretudo numa altura em que as competições chegaram ao fim.

Se for verdade… E não será mesmo verdade?

Vejamos: Bernardo Silva, Cancelo, a meia equipa do ano passado, a pressa em vender Gaitán, as dores de cabeça com a lesão de Salvio, que impedirá a sua transferência…

De facto, dá toda a sensação de Vieira e companhia estarem desesperados por ver entrar dinheiro vivo nos cofres da Luz. Mas não foram estes mesmos dirigentes que proclamaram, aos sete ventos, há cerca de um ano, que o Benfica era «independente» e não necessitava da alienação dos passes dos jogadores para se manter equilibrado?

E por que razão Jorge Jesus não renova? Por que razão, segundo se consta, Vieira quer cortar 2 milhões aos 4 que o treinador ganha, em bruto, anualmente? Quanto é que custou o passe de Benito Três milhões e meio? E o de Talisca? Bernardo não daria conta do recado de forma semelhante ou talvez superior? Djavan? Pizzi por 12 milhões, referentes a 50% do seu passe? Bebé? Candeias? Sei lá: a carregada que entra todos os anos (e neste já dá para uma furgoneta…) dá perfeitamente para pagar o vencimento de Jesus de vários anos.

Em época de vacas gordas ou de vacas magras, o Benfica tem de ser gerido com rigor, que não é o mesmo que ser gerido com uma merceariazinha de bairro, sem desprimor. E quando havia financiamento dos bancos e dos fundos, gastou-se o que se precisava e desperdiçou-se dinheiro a rodos. Se é verdade que Jesus potenciou muitos jogadores (alguns até eu, passe a hipérbole, o faria, porque têm talento para dar e vender; mas Djalós, Emersons e outras fantasias assim, ups!), a realidade é que contratou (ou alguém por ele) tudo o que mexia e, nesse âmbito, lixo e mais lixo futebolístico. E da formação, do Seixal, zero! Ninguém parece prestar, nem para o banco de suplentes aquecer. E os que por lá passam uma época (vide Cavaleiro), logo são despachados a correr.

Voltando ao início: Luís Filipe Vieira parece ter a equipa A e os melhores talentos da B em autênticos saldos. E, aparentemente, só não vende a águia porque não pode.

Mas também é verdade que estamos naquela época do ano e que muita água vai correr debaixo da ponte. Mas também é verdade que o título de campeão desta época provavelmente ficou a dever-se a uma contratação tardia, inesperada e caída aos trambolhões: Jonas.

Sábado, 16 Agosto, 2014

Onde está o mentiroso?

Filed under: Benfica, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 20:43

Sem Título

Site no WordPress.com.