Pro.Benfica

Quinta-feira, 13 Janeiro, 2011

Ainda LeBron

Filed under: Basquetebol, LeBron James, NBA — pro.benfica @ 17:25

          Foi isto que LeBron escreveu.

          Tinha-me escapado aquela referência à divindade. Curiosamente, como o King-God vomitou, Deus parece que não dorme, efectivamente, e decidiu abrir os olhos a ver. Ontem, os Heat foram derrotados pelos Clippers.

          «A filthy mouth is a b****!»

Tuitadas

Filed under: Basquetebol, LeBron James, NBA — pro.benfica @ 1:56

          Há uma «coisa», entre outras, que me irrita solenemente nas pessoas em geral e, no caso, nos desportistas em particular: arrogância.

          LeBron James anda «inquieto» a propósito da razão que leva pavilhões sucessivos a assobiarem-no sempre que ele joga fora de casa. Alguém lhe deveria explicar (creio que já o fizeram; ele, provavelmente, é que não quer compreender ou não sabe) que essa atitude dos expectadores se fica a dever à troca, no Verão passado, dos Cavs pelos Heat – nomeadamente à forma como o fez, ao estilo de um romance policial série B de Hollywood – e à forma arrogante (e infantil) como se comporta em campo e fora dele.

          O seu último vómito ocorreu ontem, quando «tuitou», após a derrota humilhante sofrida pelos Cavs diante dos Lakers, que o «karma» é uma coisa tramada e mais qualquer merdelhice, procurando, assim, vingar-se da forma como os fãs e a organização dos Cavs reagiu à sua saída.

          Ninguém se lembra de ouvir pavilhões a assobiar «Magic», Bird, Shaq, Chamberlain, Jordan, etc., etc., etc. Pelo contrário, quem tem idade suficiente recorda-se da forma como Michael Jordan, o maior jogador da NBA de todos os tempos, foi aplaudido, de pé, durante largos minutos em diversos casos, nos pavilhões onde jogava com os Wizards no último ano da sua carreira, numa despedida sentida do seu génio e de  reconhecimento do seu talento e do que trouxe ao jogo e ao desporto.

          LBJ trocou o número (23) da sua camisola este Verão. Fez bem: as suas atitudes, o seu comportamento não honram o homem que o notabilizou: o tal Jordan.

Site no WordPress.com.