Pro.Benfica

Segunda-feira, 3 Agosto, 2015

As finanças do Benfica

Filed under: Finanças — pro.benfica @ 21:27

A blogosfera benfiquista está dividida na análise que faz às finanças do clube.

Por um lado, temos os que defendem que Vieira nos trouxe até ao precipício e que, com o fechar da torneira do BES, sob a velha ou a nova designação, o Benfica está sem cheta, pilim, grana, massa, por isso não investe. Faz parte deste grupo, embora com uma argumentação menos elaborada, o inefável Dr. Eduardo Barroso.

Por outro, temos aqueles que defendem que a situação económico-financeira do Benfica está bem e recomenda-se. E sustentam isto com base em demonstrações em economês, que eu sou manifestamente incapaz de apoiar ou rebater por total ignorância na matéria.

Qualquer que seja a razão desta estagnação e da venda maciça dos melhores atletas do plantel, bem como dos extraordinários negócios com a formação, aqui o ignorante em economia e finanças atreve-se a pensar que, sem sucesso desportivo, não há recuperação financeira. Se o clube não continuar a ganhar, as assistências diminuirão, o número de sócios pagantes não aumentará, os novos subscritores da BTV não farão fila à porta da estação e por aí fora.

Ou serei ainda mais ignorante do que creio?

A falta de visão de Vieira

Filed under: Finanças, Luís Filipe Vieira — pro.benfica @ 1:20

Vieira deveria ter escutado Jorge Jesus, o defunto que teima em não morrer.

Se o Benfica, depois dos 6 anos sob o comando do génio ruço, joga de olhos fechados, o Benfica não precisa de treinador.

Assim sendo, ó Vieira, para quê gastar um milhão, ou lá o que é, com Rui Vitória?

Sexta-feira, 28 Setembro, 2012

Relatório e Contas do Benfica chumbado em Assembleia Geral

Filed under: Benfica, Finanças — pro.benfica @ 1:29

A oposição a Luís Filipe Vieira organizou-se, foi à Assembleia Geral (realizada esta quinta-feira, uma chico-espertice do Orelhas, que lhe saiu mal) e chumbou o Relatório e Contas do Benfica.

E agora?

Quase certamente, nada.

As eleições estão à porta, mas não há oposição no horizonte ao atual presidente, pelo que este gesto terá, aparentemente, pouco significado. No entanto, o sinal está lançado e Vieira não terá vida fácil… exceto se a equipa de futebol desatar a ganhar e for campeã já este ano.

Se a coisa correr mal, Vieira arrisca-se a ser o presidente que vê o FCP ultrapassar o SLB em número de campeonatos nacionais ganhos, depois de ter sido o presidente que viu o clube nortenho ultrapassar o SLB em número total de títulos do futebol.

Porque a questão é sempre a mesma: em 11 anos de direção, Vieira ganhou duas ligas e levou o Benfica ao maior «deficit» de um clube de Portugal, tão grande que o clube se encontra em falência técnica.

Sábado, 22 Setembro, 2012

A austeridade chegou ao Benfica

Filed under: Benfica, Finanças — pro.benfica @ 0:53

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, afirmou que o clube precisa vender e baixar a massa salarial, mesmo que isso signifique a perda de competitividade, dizendo não perceber como alguns clubes conseguem resistir a transferir jogadores.

“Quem pensa que pode continuar a viver como até há alguns anos atrás está redondamente enganado, quem persistir nesse erro vai acabar mal. Vender, comprar menos e formar mais. Vender e baixar a massa salarial, mesmo que isso signifique sacrificar a nossa competitividade”, disse, num jantar após a inauguração da nova imagem da Casa do Benfica de Almada.

O presidente do Benfica defendeu que é obrigatório garantir a sustentabilidade do clube, afirmando que se tem de ganhar “com o talento, a entrega e o empenho dos que ficam e confiar na capacidade do treinador”.

Luís Filipe Vieira referiu que não resta outro caminho ao clube que o da “credibilidade e da responsabilidade”, garantindo que quem não o fizer por opção vai ter que o fazer por obrigação.

“Num período de mudança e de incerteza, o pior que podemos fazer é fingir que nada se passa. Temos de aceitar que há limites e que ultrapassar esses limites significa comprometer o nosso futuro”, afirmou.

O presidente do Benfica deixou também uma mensagem irónica aos seus rivais. “Quero dar os meus parabéns àqueles clubes que apresentando prejuízos milionários em anos consecutivos conseguem resistir a vender jogadores.

Seguramente que devem ter encontrado uma fórmula mágica”, disse. Para o líder “encarnado”, a magia “é pura ilusão” e que quando esses clubes “acordarem pode ser tarde demais”.

“E isso, garanto-vos, não vai acontecer com o Benfica”, acrescentou. Luís Filipe Vieira defendeu que já tomou a sua opção, que passa por garantir o futuro do Benfica, sem nunca “comprometer a sua continuidade”.

 

Ou seja, o Benfica está na merda no que diz respeito às finanças (peço desculpa pelo calão, que não é hábito nesta casa). Há não muito tempo um administrador da SAD dizia que o Benfica não precisava de vender passes de jogadores, que tinha a sua situação económica de tal maneira estabilizada que tal não era necessário.

Por outro lado, deste modo lá se vai o Benfica europeu das promessas de Vieira; o Benfica que iria ombrear com o Real Madrid.

A questão nem é a necessidade de formar jogadores e vendê-los depois de os valorizar. A questão não é comprar menos, até porque nenhum adepto consegue compreender que o SLB tenha mais de 70 jogadores sob contrato. A questão, neste caso, está em comprar pouco mas bom, mesmo sabendo que num ou noutro caso se vai falhar. Agora, é preciso falhar tanto? Fernandez? Kardec? Lima? Felipe Menezes? Éder Luís? E todas as outras dezenas de jogadores.

A questão reside na afirmação segundo a qual o Benfica vai perder competitividade. Ora, se considerarmos que, nos largos anos que Vieira leva na estrutura diretiva do Benfica, se ganharam dois campeonatos nacionais, em que se fizeram investimentos brutais, então, agora que vem aí a austeridade, podemos imaginar o que nos espera.

Além do mais, pelo que vemos no país, austeridade só traz mais austeridade. Assim sendo, e tendo em conta o tipo de gestão que o Porto faz, daqui a quatro ou cinco anos, seremos ultrapassados enquanto clube com mais campeonatos nacionais ganhos. Também já só falta isso.

E é isto o balanço da consolado Vieira: 2 campeonatos, o clube em falência técnica, a despachar jogadores ao desbarato para poupar em salários e a vender – BEM – outros para pagar dívidas e juros altíssimos que se vão vencendo.

O mais trágico é que, e comparando mais uma vez com o país, não há alternativa no horizonte a esta cavalgada. Talvez um dia destes eu deixe de pagar as minhas quotas. Amo o Benfica, mas não bato na mulher e demais família quando o clube perde; amo o Benfica, mas quando quiser ser sócio de uma coletividade meramente recreativa, inscrevo-me no grupo da sueca.

O tempo de Vieira chegou ao fim… mas o fim não chegou para o tempo de Vieira. E isso está tornar-se o túmulo do Benfica.

Site no WordPress.com.