Pro.Benfica

Sexta-feira, 9 Dezembro, 2016

A heteronímia do Carvalho

Filed under: Bruno de Carvalho — pro.benfica @ 0:05

Bruno de Carvalho: “Eu não sou eu: eu sou 3,5 milhões de pessoas.”

E eu que já achava as centenas dos heterónimos e semi-heterónimos de Pessoa uma bela litrada.

Deve ser cá um manicómio naquela cabeça, com tanta personalidade a gravitar por lá…

Bruno e o suspense

Filed under: Bruno de Carvalho, Sporting, Uncategorized — pro.benfica @ 0:00

Bruno de Carvalho a um jornal francês: “Estamos a matar o suspense.” (do futebol)

Tradução. “Ó Jorge, então já estamos fora da Europa em dezembro?”

Subrepticiamente: “Ai a merd…, que ainda perco as eleições e o tacho.”

Quinta-feira, 8 Dezembro, 2016

Bruno e a mudança

Filed under: Bruno de Carvalho, Sporting — pro.benfica @ 23:57

Bruno de Carvalho a um jornal francês: “O futebol tem de mudar.”

Tradução: “Eu quero ganhar, mas não consigo.”

Segunda-feira, 8 Fevereiro, 2016

A culpa é sempre dos outros (parte II)

Filed under: Bruno de Carvalho, Sporting, Uncategorized — pro.benfica @ 23:50

O que foi dito acerca do cotovelismo argelino vale para o presidente do Sporting.

Pelo meio de sucessos da sua gestão surgem «n» casos de fracassos rotundos. Porém, a culpa nunca é do homem do leme. É sempre dos outros. O timoneiro fez sempre tudo correto, o possível e o impossível em favor do seu clube.

Notável!

Quinta-feira, 8 Outubro, 2015

Bruno de Carvalho e as rameiras

Filed under: Bruno de Carvalho — pro.benfica @ 14:19

O presidente do Sporting foi ao programa ‘Prolongamento’ da TVI 24 na pretérita segunda-feira.

Não foi esclarecer nada, não foi dar uma entrevista, não foi mostrar mostrar estatuto,não foi dignificar o desporto e muito menos o Sporting.

Bruno de Carvalho foi com um único e exclusivo propósito: atacar o Benfica. Ponto. Para tal, serviu-se do representante (?) do Benfica, Pedro, e do seu arsenal habitual: baixíssimo nível, falsidades, meias verdades, mentiras, insinuações, ataques pessoais.

Entre os verde-e-brancos, o delírio instalou-se porque o seu presidente fez um figurão. Para mim, fez uma triste figura, muito triste mesmo, abaixo do que seria expectável, mesmo tendo em conta a pessoa que é.

O caminho estava traçado: o homem não respondeu a perguntas, seguiu o alinhamento que as agências de comunicação lhe puseram à frente e… ponto. Nem os ataques «ad hominem», à família ou ao físico de Pedro Guerra são de admirar. Bruno de Carvalho fez muito pior com Marco Silva: tentou destruir-lhe o caráter.

E conseguiu plenamente os objetivos: junto da massa adepta do Sporting conseguiu a congregação resultante da arma que os une – o ódio ao Benfica. Na comunicação social, substituiu a discussão até sobre a seleção pela sua performance. Nas redes sociais, está instalada a guerra, as acusações e contra-acusações, os foguetes e as canas… E está bem próximo um Benfica – Sporting.

Assim, de uma penada o homem fez esquecer tudo o que aflige o Sporting e que deveria concentrar as atenções de quem torce pelo verde-e-branco: Doyen, Carrillo, VMOC, patrocínios, orçamento, empréstimos…

Como as rameiras, o que interessa é agarrar o cliente, faça-se o que se tiver de fazer. E, de momento, atingiu o objetivo. Pirro também pensou que sim e depois acabou por apenas deixar o seu nome para a posteridade pela ilusão de uma vitória que se transformou na derrota total.

Sábado, 26 Setembro, 2015

Bruno de Carvalho, de mitómano a vale tudo

Filed under: Bruno de Carvalho — pro.benfica @ 13:15

Bruno de Carvalho chegou à direção do Sporting afirmando a sua intenção de contribuir para a regeneração do futebol português, além, claro, do que se propunha fazer em prol do clube.

Sucede que, passados mais de dois anos, o que se verifica é um desespero por ganhar rapidamente, mostrando com isso que tem consciência de que necessita dessas vitórias para se perpetuar no poder, e um disparar em várias direções: adversários, árbitros, jogadores, treinadores, fundos de transferências, liga, UEFA… Ressalta também um certo maquiavelismo da pior espécie: socorre-se de todos os meios para atingir os seus fins. O processo em torno do despedimento de Marco Silva é disso exemplo: tudo valeu para se ver livre do ex-treinador.

Tudo, desde mentiras, armadilhas rasteiras, até ataques ao caráter, enlameando tudo e todos que atravessarem o seu caminho.

Um dos episódios exemplificativos deste «modus faciendi» foi o «post» no seu Facebook (mais um!) em que acusava Luís Filipe Vieira de lhe ter proposto uma aliança para Benfica e Sporting alternarem entre si as vitórias no campeonato. Aberto um processo de averiguações pela Liga, quando chamado a depor, Bruno de Carvalho declarou que «Não quis dizer que o Presidente do Benfica lhe estava a propor participar em medidas de corrupção, porque não sabe, não está na cabeça dele…». Conclui o inquérito que «o Sr. Dr. Bruno de Carvalho deixou claro o seu desconhecimento relativamente a práticas de viciação de resultados desportivos».

Bardamerda, Sr. Dr.! Como V. Ex.ª já cá temos muitos… demasiados!

Sexta-feira, 18 Setembro, 2015

O princípio de Inacarvalho: aldra… bice

Filed under: Bruno de Carvalho, Sporting — pro.benfica @ 22:47

Augusto Inácio, o tachista e de honestidade a toda a prova:

  1. Carrillo assinava na segunda-feira… OK, o homem não especificou qual segunda, de que semana, mês ou ano.
  2. O Benfica pagou 3 a 4 vezes mais por Cervi do que o Sporting estava disposto a fazer. O ‘Expresso’ revelou hoje um documento que clarifica que os de Alvalade estiveram dispostos a chegar até aos 6 milhões de euros. Assim sendo, o Benfica pagou entre 18 a 24 milhões de euros pelo passe do argentino.

Inácio, amigo, carregue nisso aí.

Houve uma afirmação de Jorge Jesus, ontem, que passou despercebida, mas que só confirma que, obviamente, o egocentrismo e o alijar de responsabilidades do treinador, de forma cobarde e desresponsabilizadora, se mantêm. Disse o homem que JÁ SABIA que as alterações que fez no 11 contra o Lokomotiv não iriam resultar. Então ele sabia que a sua decisão iria ter resultados negativos e foi em frente? Isto é quase como dizer que sabia que ia perder e decidiu, de facto, que ia perder aquele jogo. Por outro lado, atirou para cima dos jogadores «novos» que entraram a responsabilidade da derrota pois são maus jogadores. Ou seja, queimou-os, liquidou-os. Grande líder, ó Jesus!

Li num blogue leonino que o Sporting pretende pedir um novo empréstimo no valor de pouco mais de 9 milhões de euros. Pressupõe-se que para construir o pavilhão. Então não dá para desviar os 6 milhões que estiveram para ser despendidos mas não o foram na contratação de Cervi evitar essa adenda ao empréstimo, que aumenta o passivo e acarreta impostos?

Bruno de Carvalho sabe que a sua presidência corre riscos se não for campeão rapidamente. E está a tentar fazer o «all in». Ora, mediante isto, que até o jumento do meu vizinho sabe, reafirmo que Luís Filipe Vieira teria de apostar forte nesta época para evitar que o Sporting fosse campeão. A razão é simples: há dois lugares «cativos» na Liga dos Campeões… Fora as questõezinhas em torno da «traição» de Jorge Jesus ao mudar-se para o outro lado da Segunda Circular.

Sábado, 22 Agosto, 2015

Mustafá de Carvalho

Filed under: Bruno de Carvalho — pro.benfica @ 21:51

AAA

O que é que o Mustafá está a fazer à entrada para os túneis?

Ainda assim, é de louvar o seu gesto de «fair play».

Uma afirmação do Carvalho

Filed under: Bruno de Carvalho — pro.benfica @ 19:52

O incontinente verbal que a progenitora apelidou de Bruno e ao qual o pai acrescentou DE Carvalho (sim, que isto de gente fina é outra coisa) afirmou, do alto da sua barba semeada em dia de tufão, que os sócios do Benfica estão demissionários.

Sempre sagaz este homem! No Benfica – Estoril estiveram mais de 53 mil, um número que encheria Alvalade, o novo pavilhão leonino a haver e um par de assoalhadas do novíssimo apartamento de Jorge Jesus.

Quarta-feira, 19 Agosto, 2015

Sorteie-se!

Filed under: Bruno de Carvalho, Sporting — pro.benfica @ 1:33

Bruno de Carvalho sobre o Sporting (2) – CSKA (1): “Continuo a não ser grande fã dos cinco árbitros.”

É fácil: sorteiem-se os árbitros das competições europeias.

Basta seguir o método aplicado em Portugal pelo acima citado e Pinto da Costa: lance-se a ideia na UEFA, telefone-se aos número necessário de presidentes de clubes, prometa-se-lhes umas coisas e peça-se-lhes que votem a medida.

Assim, resolve-se tudo.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.